Oração

Exposição e Adoração do Santíssimo Sacramento

A Exposição e Adoração do Santíssimo Sacramento, rito que consiste, na sua forma simples, na colocação da hóstia consagrada num cibório sobre o altar, tem quatro fases: exposição, adoração, bênção, reposição (regresso ao sacrário).

Na forma solene, a exposição do Santíssimo Sacramento é feita no ostensório, apenas por um sacerdote ou diácono, que enverga uma capa especial a que se dá o nome de pluvial, cerimónia acompanhada pela queima de incenso. Tem igualmente quatro fases: exposição, adoração, bênção, reposição.

A exposição simples pode ser realizada por um sacerdote ou diácono ou ainda um por um leigo; neste caso é omitida a fase da bênção, procedendo-se à reposição (regresso ao sacrário) logo após a adoração.

Na Paróquia de S. Francisco Xavier faz-se a Exposição e Adoração do Santíssimo Sacramento todas as sexta-feiras, das 16h30 às 18h45, na Igreja Paroquial e quinzenalmente às quinta-feiras, das 21h00 às 22h00, na Igreja da Sagrada Família, em Caselas.

Links para guiões
Guião utilizado em Fátima
Guião utilizado pelo Papa Francisco em 2013
Textos para a Adoração Eucarística (Dehonianos)

Primeiros Sábados

Somos um grupo devoto de Nossa Senhora de Fátima que dinamiza na nossa Paróquia a concretização do pedido de Nossa Senhora à Irmã Lúcia a 10-12-1925, em Pontevedra, Espanha.

Disse-lhe então: ‘Olha, minha filha, o meu coração cercado de espinhos que os homens ingratos a todos os momentos me cravam com blasfémias e ingratidões. Tu, ao menos, procura consolar-me e diz que prometo assistir na hora da morte, com todas as graças necessárias para a salvação, a todos os que, no Primeiro Sábado de cinco meses seguidos, se confessarem, receberem a Sagrada Comunhão, rezarem um terço e me fizerem companhia durante quinze minutos, meditando nos 15 mistérios do Rosário com o fim de me desagravar’.

Local: Igreja São Francisco Xavier
Decorre todos os Primeiros Sábados com meditação que se inicia às 18h15, seguida de terço às 18h30 e missa às 19h00.

A confissão deve ser planeada por cada um de acordo com os horários disponíveis.

Temos o desejo de encher a nossa Igreja de fiéis a rezar a Nossa Senhora. O grupo assegura ainda os cânticos da missa que procuramos que sejam conhecidos para serem cantados por todos.

A devoção dos Primeiros Sábados consiste de:
1. Confissão
2. A Comunhão Reparadora
3. O Terço
4. A meditação, durante 15 minutos, fazendo companhia a Nossa Senhora, de um só mistério, de vários ou de todos

Oração de Entrega (que rezamos no início da meditação):
Virgem Santíssima, Mãe de Deus e nossa Mãe!
Ao mostrar o Vosso Imaculado Coração, cercado de espinhos, pedistes aos vossos filhos consolo e reparação.
Queremos desagravar o Vosso Imaculado Coração dos nossos pecados e dos pecados de toda a humanidade:
Eles são como espinhos, que no Vosso Coração se vão cravar, ferindo-vos e magoando-vos.
Sejam, o rosário que vamos rezar e os quinze minutos de companhia que Vos vamos fazer, verdadeiros actos reparadores.
Fazei Senhora, que o Vosso Imaculado Coração seja o nosso refúgio e o caminho seguro que nos conduza até Deus.
Amen

Terço

O Terço, designação pela qual é mais é mais conhecida a terça parte de um Rosário, é uma das orações individuais e comunitárias mais rezadas diariamente pelos católicos em todo o mundo.

Na Paróquia de S. Francisco Xavier, o Terço é rezado durante todo o ano na Igreja Paroquial, de terça a quinta-feira, às 18h30. À sexta-feira deixa de ser rezado comunitáriamente.

Na Igreja de Caselas, o Terço é rezado diariamente nos meses de Maio e Outubro, meses de Maria, e de Junho, mês do Sagrado Coração de Jesus, às 21h00.

Ainda na Igreja Paroquial, nos dias 13 de cada mês decorre o Terço dos Homens de Schoenstatt, às 21h15.

O Terço subdivide-se em Mistérios Gozosos, Dolorosos e Gloriosos. Em 2002, S. João Paulo II propôs  a junção dos Mistérios Luminosos.

Cada Mistério inicia-se com a sua enunciação e meditação, seguindo-se um Pai Nosso e dez Avé Marias, terminando com o Glória. O Terço conclui-se com a recitação de três Avé Marias em honra de Nossa Senhora e do Salvé Rainha.

Nas Aparições em Fátima, Nossa Senhora insistiu aos Três Pastorinhos (Lúcia, Santa Jacinta e S. Francisco) na necessidade da recitação diária do Terço.

A oração do Terço em Fátima

Terço dos Homens em São Francisco Xavier

O Terço dos Homens pretende chamar a atenção para os benefícios da Oração do terço entre os homens. Quem pensa que a oração do terço é um hábito comum mais entre as mulheres ou é algo ultrapassado, terá uma grande surpresa.

Pretendemos dar força ao pedido que Nossa Senhora fez em Fátima aos pastorinhos para que rezem o Terço todos os dias! É o que queremos, levando a mensagem tão longe quanto possível.

A programação ao 13º dia de cada mês, na Igreja de São Francisco Xavier, terá início com chegada pelas 21:15 horas, acolhendo todos os grupos para depois se dar início às orações rezando o Terço.

Tendo por objectivo dinamizar o hábito de rezar o Terço em todo o lado, pretendemos replicar esta iniciativa pelas outras paróquias da Diocese de Lisboa e depois pelo País.

A oração do Terço dos Homens começa com um cântico de entrada:
Cântico – Homens Novos

Dá-nos um coração, grande para amar,
Dá-nos um coração, forte para lutar.

Homens novos criadores da história,
Construtores da nova humanidade.
Homens novos que vivem a existência
como o risco de um longo caminhar

Homens novos lutando com esperança,
Caminhantes sedentos de verdade.
Homens novos sem freios nem cadeias,
Homens livres que exigem liberdade.

Segue com a Invocação ao Espírito Santo, com o Acto Penitencial e a leitura do Evangelho do dia.
Depois temos mais um cântico:
Cântico – Senhor da Galileia

Põe tua mão na mão do meu Senhor, da Galileia
Põe tua mão na mão do meu Senhor, que aclama o mar.
Meu Jesus, que cuidas de mim, noite e dia sem cessar …
Põe tua mão na mão do meu Senhor, que aclama o mar. (BIS)

Seguimos com o Oferecimento do Terço, intenções e Recitação do Terço.
No final dos 5 mistérios, rezamos três Avé- Marias pelas intenções do Santo Padre o Papa Francisco, pelas intenções particulares e pela expansão do Terço dos Homens e rezamos também a Salvé-Rainha.

Rezamos ainda como Oração Final:
ORAÇÃO DA CONFIANÇA
(I) Se olharmos as nossas próprias forças
esvai-se toda a esperança e confiança;
a ti, Mãe, estendemos as mãos
e imploramos abundantes dons de amor.

(II)Mesmo nas tormentas e nos perigos,
manterás sempre a fidelidade à aliança
que selaste connosco Rumo ao céu
e que enriqueceste com tantas graças.

(I)Tu nos enviarás as vocações
que connosco se empenhem pelo teu Reino,
nos darás trabalho e copiosas bênçãos
e à nossa impotência unirás a tua omnipotência

Terminamos com a Consagração a Nossa Senhora e os cânticos finais:

Cântico – Magnificat Cântico – Navegadores
Minh’alma glorifica o Senhor, meu Deus.
Meu espírito exulta em meu Salvador.
É minha alegria, minha plenitude.
Ele é tudo para mim. Todo o sonho é promessa de futuro
E o Evangelho em caravelas fez-se ao mar
No azul das ondas traçou caminho duro,
Içou as velas com a cruz a brilhar.
Ele olhou a pequenez de sua serva;
toda a terra me proclamará ditosa,
porque em mim o seu amor fez maravilhas,
o Senhor, aquele cujo nome é santo. Navegamos no mar do nosso tempo
E gritamos bem alto a novidade,
A cruz de Cristo é luz que dá alento
P’ra entre os homens criar unidade. (bis)
Seu amor Ele derrama para sempre
sobre aqueles que o temem e o amam;
exerceu a grande força do seu braço
derrubando os poderosos dos seus tronos.

Mais informações sobre o Terço dos Homens aqui

Via Sacra

A oração cristã  gosta de seguir o caminho da cruz (Via-Sacra), seguindo o Salvador. As estações, do Pretório ao Gólgota e ao Túmulo,  marcam o caminho de Jesus, que resgatou o mundo por sua santa Cruz. (Catecismo da Igreja Católica nº 2669)

Prática devocional que percorre a Paixão de Jesus Cristo até à sua Morte, a Via Sacra tem por objectivo rezar e meditar sobre os momentos vividos por Jesus, desde a condenação no Pretório, às mãos de Pilatos, ao seu sofrimento e crucificação, morte e colocação no túmulo, terminando antes da gloriosa Ressurreição em Domingo de Páscoa.

Por esse motivo, a Via Sacra realiza-se durante o período da Quaresma.

Com origem nos tempos das Cruzadas, entre os séculos XI e XIII, a Via Sacra tem actualmente 14 estações, a que se junta uma 15ª, opcional, criada pelo Papa S. João Paulo II para celebrar precisamente a Ressurreição de Cristo:
1. Estação: Jesus é condenado à morte
2. Estação: Jesus carrega a cruz às costas
3. Estação: Jesus cai pela primeira vez
4. Estação: Jesus encontra a Sua Mãe
5. Estação: Simão de Cirene ajuda Jesus
6. Estação: Verónica limpa a face de Jesus
7. Estação: Jesus cai pela segunda vez
8. Estação: Jesus encontra as mulheres de Jerusalém
9. Estação: Jesus cai pela terceira vez
10. Estação: Jesus é despojado de Suas vestes
11. Estação: Jesus é pregado na cruz
12. Estação: Jesus morre na cruz
13. Estação: Jesus é descido da cruz
14. Estação: Jesus é sepultado
15. Estação: A Ressurreição de Jesus

As estações podem estar distribuídas pelo interior da igreja ou mesmo em trajecto ao ar livre, sendo assinaladas por uma cruz.
Cada Estação começa com o seu enunciado, seguindo-se uma leitura do Novo Testamento, uma curta meditação e termina com a recitação do Glória. Pode também concluir com um cântico.

Na Paróquia de S. Francisco Xavier a Via Sacra realiza-se às sextas feiras, durante a Quaresma, às 18h15.

Guião da Via Sacra de preparação para o Sínodo de Lisboa 2016

Guião da Via Sacra em Fátima